0

Grávida e futuras mamãs, parabéns!!

Estar grávida é um momento maravilhoso, mas também sabemos que muitas mulheres sofrem bastante com as alterações físicas e muitas com os dentes e gengivas! Isto porque a boca sofre muitas alterações, devido às hormonas durante a gestação. 

Que implicações têm estas alterações no bebé?

E o mais incrível é pensarmos que o estado da boca da grávida, assim como determinados comportamentos podem ter efeitos diretos na gravidez e no bebé, e mais especificamente nos dentes do bebé. Sabia que é possível a falta de vitamina D ou mesmo um episódio de gripe afetar a formação dos dentes decíduos e definitivos do bebé ainda na barriga da mãe? Já alguma vez viu dentes das crianças com manchas amarelas ou brancas? Pois bem, isso pode ser devido a alterações sistémicas durante a gravidez. 

 

A deficiência materna de vitamina D na grávida, predispõe as crianças a defeitos dentários de desenvolvimento, esmalte especificamente hipomineralizado. Os dentes afetados pelo esmalte hipomineralizado são mais suscetíveis à colonização por bactérias cariogénicas e muitas vezes são hipersensíveis, dificultando a higiene oral adequada, aumentando o risco da criança desenvolver cárie precoce de infância. Supõe-se que a suplementação de vitamina D pelas mães durante a gravidez otimize o desenvolvimento dentário dos seus filhos e reduza o risco de desenvolvimento de cárie dentária.

Sangra das gengivas?

Também sabemos que existem mulheres que passam toda a gravidez com sangramento gengiva, saiba que isso não é normal e que pode tratar. Além de que pode prejudicar a sua saúde e do bebé. 

E porque é que isto acontece? O aumento de progesterona no tecido gengival aumenta a síntese de PGE 2, que é um potente mediador da inflamação, sendo a provável explicação para a intensificação do processo inflamatório gengival. Como as gengivas ficam mais sensíveis e dolorosas, a técnica de escovagem deixa de ser tão eficaz. Assim sendo existe mais acumulação de placa bacteriana e consequentemente maior sangramento, resultado desta inflamação gengival. 

 

Se este sangramento se mantiver, se a grávida tiver doença periodontal ou infeção nas gengivas, os lipopolissacarídeos, que são produtos bacterianos, vão para a corrente sanguínea e como resposta imune há aumento da síntese de prostaglandinas, podendo causar atraso do crescimento fetal, parto prematuro e baixo peso.

 

RECOMENDAÇÕES PARA MANTER UMA BOA HIGIENE ORAL DURANTE A GRAVIDEZ 

  • Utilize uma pasta dentífrica com flúor (minimo 1450 ppm de flúor)
  • Escove os dentes 3x por dia 
  • Use uma escova de dureza média
  • Use fio dentário e/ou escovilhão fluoretado, pelo menos uma vez por dia, de preferência na última escovagem do dia
  • Lavar todas as noites com colutório sem álcool de álcool 
  • Depois de comer, mastigue pastilhas elásticas com xilitol, pode reduzir as bactérias que causam cárie dentária. 
  • Sempre que tiver náuseas e vómitos deve logo de seguida fazer bochecho com uma solução de clorohexidina sem álcool, ou com água. Não escove os dentes de imediato. Deve aguardar aproximadamente 30 minutos para lavar os dentes. 
  • Substitua a sua escova de dentes a cada 3 ou 4 meses, ou com mais frequência se as cerdas estiverem danificadas. 
  • Não partilhe a sua escova de dentes. 

 

Idealmente deve fazer a consulta da grávida no médico dentista, durante o primeiro trimestre da gravidez, para receber todas estas recomendações adaptadas a si e às suas necessidades em específico. No terceiro trimestre da gravidez deve marcar a consulta de pré-natal odontológico para receber informações de todos os cuidados de saúde oral a ter com o recém-nascido. 

Responda a este questionário para saber se deve marcar consulta. Procure um odontopediatra. Estes são os médicos dentistas formados e treinados para atender as grávidas. 

sinais de alerta na saúde oral da grávida

Se alguma das suas respostas a estas perguntas for positiva fale com o médico dentista.