Esta pandemia em que vivemos trouxe uma realidade diferente ao médico dentista. E a verdade é que todos temos que nos adaptar. Continuar, dentro do razoável e com todos os cuidados, é a palavra de ordem!

A medicina dentária foi das áreas mais afetadas, com atendimento apenas em caso de urgência médica. Sabemos que é dos locais onde existe mais risco de contaminação, pela proximidade entre médico e paciente, com o trabalho direto na boca, sabendo que a contaminação sobretudo pelas mucosas e pela produção de aerossóis. Estes aerossóis são provocados pelo vapor de água ao usar a broca.

Os médicos dentistas desenvolveram novos métodos de trabalho, com recurso a equipamentos de proteção individual ainda mais e mais rigorosos. O gabinete é detalhadamente desinfetado e a sala de espera totalmente descaracterizada.

Mas só assim é possível nós, profissionais, e vocês, pacientes e pais dos nossos meninos termos confiança para voltar ao ativo e às consultas!

E estamos preparados. Não tenham medos. Existem regras e orientações específicas que diminuem fortemente o risco de contaminação.

Sabemos que a ida ao médico dentista, por si só, já não é considerado um momento agradável, e que muitos sofrem de ansiedade só de ouvir a palavra “dentista”.

Como deve preparar esta ida ao médico dentista em tempos de COVID-19?

No dia anterior:

  • Proporcione uma boa noite de sono.
  • Discurso positivo em relação à consulta: “amanhã vais ficar com os dentes lindos”.
  • Atribua ao médico dentista o poder de proteger e salvar os dentes.
  • Diga o nome do médico dentista à criança e se possível mostre uma fotografia, com e sem equipamento de proteção!!

Dia da consulta:

  • Se não puder entrar a acompanhar, o que neste contexto pode acontecer, transmita confiança à criança dizendo que vai ficar sempre por perto e que ela já é muito crescida.
  • Evite colocar acessórios como pulseiras, colares ou brincos.
  • Crianças com cabelo comprido devem ir com ele preso.
  • Levar o mínimo de objetos para a clínica (evitar peluches, brinquedos etc.) e se possível deixar casacos no carro.
  • Chegar no horário marcado (e não antes do horário).
  • Certifique-se que a criança não tem fome, nem vontade de ir à casa de banho, antes de entrar na consulta.
  • Deve levar um invólucro ou saco para colocar a máscara quando a remove no gabinete.
  • Faça três inspirações profundas com a criança antes de entrar na clínica.

 

Coloque todas as questões à clínica, por telefone e esclareça todas as suas dúvidas. E vá com confiança!

 

As consultas serão diferentes? sim! Por agora. Teremos que eliminar a proximidade física, os beijinhos e os abraços… Mas continuamos a ter o nosso baloiço, os nossos amiguinhos e a segurança de sempre. E a magia vai acontecer!!

 

Fiquem bem!