A higiene oral e os cuidados com a saúde oral e dos dentes do bebé devem começar na amamentação!

Muitas mamães me perguntam se devem lavar sempre a boquinha do bebé após a amamentação. É reposta é não. Neste artigo explico quando e como o devem fazer. 

Mas antes quero deixar bem claro que tanto a Academia Americana de Odontopediatria, como a Associação Brasileira de Odontopediatras, defendem a amamentação. Pesquisas epidemiológicas mostram que o leite materno e a amamentação dos bebés oferecem vantagens gerais de saúde, nutricionais, de desenvolvimento e psicológicas, enquanto diminuem significativamente o risco de um grande número de doenças agudas e crónicas.

A amamentação representa: 

  • fator inicial do bom desenvolvimento dos dentes e da face; 
  • favorece a obtenção de uma oclusão dentária normal (a forma como os dentes encaixam) 
  • consequentemente futura mastigação correta
  • Permite o desenvolvimento perfeito do equilíbrio neuromuscular dos tecidos que envolvem o aparelho mastigatório  

Estudos vêm demonstrando que o uso frequente de lactose ou leite, aumenta a produção de ácidos na placa. Mas a questão do leite torna-se complexa porque é preciso referir que este apresenta substâncias protetoras, como, por exemplo, o cálcio e o fosfato, por isso o leite pode até ser considerado de baixo potencial para cárie dentária. O leite é menos acidogénico, se comparado à solução de lactose pura, sacarose ou leite com sacarose. O problema agrava-se quando as crianças são expostas ao leite materno em alta frequência e por muito tempo, e adormecem a mamar, mas não é uma vez, várias vezes.

A estagnação do leite durante à noite pode ser prejudicial ao esmalte dentário. Nestas condições, o leite humano adquire maior potencial cariogénico que o leite bovino devido à maior concentração de lactose. Mas calma não é para andar sempre a lavar a boca do bebé. Além do potencial cariogénico variar muito de acordo com o especificidades de cada bebé e com a frequência, o leite materno forma uma camada de imunoglobulinas em toda a mucosa oral, que protege essa via de entrada de uma série de doenças. A sua retirada com gaze / fralda embebida em soro fisiológico/ água filtrado ou fervida diminui a proteção da gengiva do bebé. Além disso não é possível garantir que as gazes/ fraldas usadas para tal procedimento estejam adequadamente limpas, ou que os líquidos citados estejam esterilizados ou assim se mantenham, aumentando o risco de introdução de bactérias na boca do bebé. 

Por isso aconselho a fazer:

  • a limpeza da boca do bebé, apenas quando o bebé regurgitar e se o leite ficar estagnado na boca. Pode fazê-lo com uma gaze ou ponta de uma fralda embebida em água destilada ou filtrada.
  • à noite, na última mamada e troca de roupa do bebé, estimule a cavidade com dedeiras de borracha ou toalha. Deve realizar movimentos leves e suaves para não remover as imunoglobulinas presentes na boca e saliva. 
  • Com o aparecimento do primeiro dente na boca comece a fazer a escovagem manual. Opte por uma escova de dentes de cerdas macias, arredondada e cabeça pequena. Sempre com pasta de dentes fluoretada em quantidade de um grão de arroz cru. 

 

Tão simples quanto isto!! Assim teremos boca e dentes saudáveis!!