Costumo aconselhar as minhas grávidas a fazer sempre uma consulta pré-natal ao 3.º trimestre de gravidez onde dou truques, dicas e técnicas, que devem começar logo após o nascimento para saberem os cuidados de saúde oral no recém-nascido. 

Estes cuidados são muito importantes para diminuir a quantidade de bactérias na boca e para garantir o correto desenvolvimento músculo-esquelético da cavidade oral e estruturas anexas.

Além disso explico as várias situações que podem ocorrer ao nascimento do bebé para a mãe ficar familiarizada e conseguir identificar qualquer eventualidade. 

Por isso mamãs estão cheias de sorte porque este artigo vai explicar tudinho que devem saber quando o bebé nasce. Como devem fazer a higiene oral e o que devem evitar para prevenir complicações. 

Estudos recentes indicam que a primeira infância é determinante para o correto desenvolvimento do bebé. Na verdade a dentição permanente é um registo das alterações da odontogénese (formação dos dentes) no período de tempo compreendido entre o nascimento e os 12 anos de idade. 

Os hábitos que se adquirem nesta fase de crescimento podem trazer consequências graves para todo o sistema respiratório e oral. Só assim é possível prevenir problemas de desenvolvimento e da futura dentição.

 

Privilegie sempre a amamentação 

O leite materno é o único mais rico alimento nos primeiros 6 meses de vida do bebé. Este mecanismo fisiológico de amamentação permite o correto desenvolvimento das estruturas e estabelecimento das funções básicas como respiração nasal, deglutição e futura mastigação. 

O uso de biberão como meio de alimentação artificial só deve ser adotado quando há impossibilidade do aleitamento natural. 

Umas das razões que pode dificultar ou impedir o aleitamento materno é o freio lingual curto, a chamada língua presa. Se suspeitar fale com o odontopediatra. 

 

Olhe para o estado das gengivas 

Verifique as gengivas do seu bebé. Procure manchas brancas. Se encontrar alguma mancha branca ou alguma alteração de cor, ,textura ou forma da gengiva contacte o odontopediatra. 

Os recém-nascidos podem apresentar alterações na gengiva ou no céu da boca. Estas alterações mais comuns são nódulos de bohn, pérolas de epstein e dentes natais ou neonatais.  

 

Recém-nascido com dentes 

Pode acontecer o recém-nascido ter dentes. Se forem dentes presentes na cavidade oral logo ao nascer são dentes natais. Se os dentes aparecerem durante o primeiro mês de vida são dentes neonatais

Estes dentes podem estar ainda cobertos de gengiva e podem apresentar muita mobilidade por terem uma raiz pouco formada. Neste sentido podem dar problemas na amamentação (mordedura do mamilo da mãe). Além disso podem também colocar em risco a vida do bebé pois podem ser aspirados ou deglutidos. Se surgir este caso procure o odontopediatra. 

É muito importante que lave estes dentes com escova de cerdas macias e cabeça pequena. 

Higiene oral antes do primeiro dente

Hábitos saudáveis aprendidos nos primeiros meses de vida dos vossos filhos serão levados para a vida adulta. Faça a limpeza da boca (só quando o bebé regurgitar, ficando o leite estagnado na boca) com uma gaze ou ponta de uma fralda embebida em água destilada ou filtrada.

À noite, na última mamada e troca de roupa do recém-nascido, estimule a cavidade com dedeiras de borracha ou toalha. Esta estimulação deve ser levemente, para não remover as imunoglobulinas presentes na boca e saliva, que protegem as crianças de alguns tipos de vírus. 

 

Evite troca de saliva 

As bactérias podem passar da sua boca para a boca do bebé. Estudos sugerem que a mãe é a principal fonte de infeção, e a saliva é o principal veículo através do qual pode ocorrer a transmissão da bactéria responsável pela cárie dentária – Streptococcus mutans.

Se o biberão ou a chupeta do bebé cair no chão, limpe-o com água e não leve à boca. 

 

Evite a chupeta 

O reflexo de sucção é uma resposta natural do recém-nascido. No primeiro ano de vida, a sucção não é apenas para fins alimentares. Ela é também uma fonte de prazer e segurança. Alguns cuidados básicos devem ser seguidos para evitar a instalação de um hábito indesejável que poderá contribuir para o surgimento de algumas alterações orais. 

Se optar por oferecer chupeta ao bebé, não o faça até a amamentação estar estabelecida. Muitas vezes antes dos 3 meses de idade o bebé rejeita a chupeta. Não insista. Limite ao máximo a frequência do uso. Lembre-se que não existem chupetas milagrosas e corremos sempre o risco de alterar a respiração, maxilares e desenvolvimento do bebé. 

 

Tenha o contacto do odontopediatra 

Desde o nascimento a mãe deve ter um contacto do odontopediatra. Pode precisar para esclarecer alguma dúvida ou mesmo para ajudar em situação de urgência. Mesmo à distância um conselho imediato pode fazer toda a diferença.

 

Estes são cuidados que deve ter para garantir a correta saúde oral e desenvolvimento do bebé! Mas lembre-se mais do que tudo muito mimo e amor é o remédio para tudo!