Como recuperar após os excessos na alimentação

recuperar-2

 

Recuperar a microflora oral depois de uma época de excessos? Resolver o mau hálito  e o sangramento gengival? Então este artigo é para si.

Sempre que bebemos um copo de água, engolimos milhões de bactérias”, diz Kumar. E sempre que comemos ou beijamos entram diferentes bactérias na boca. No entanto, nem todos estes “visitantes” permanecem por perto, apenas alguns permanecem e colonizam.

Enquanto os cientistas ainda estão investigando todos os mecanismos envolvidos na produção da microflora oral, e por que certos convidados decidem nunca ir embora, sabemos que este ambiente começa a estabelecer-se quase no nascimento. E continua a evoluir, dependendo de muitas variáveis, como por exemplo o nascimento dos dentes de leite e mais tarde, por volta dos 6 anos de idade, dos dentes definitivos.

Um grande fator que os estudos já demonstraram é que a saúde oral da mãe influencia esta microflora do bebé. Se a mãe teve doença gengival ou fumou durante a gravidez, explica Kumar, é provável queo bebé tenha nascido com mais bactérias na boca, predispondo-o a cáries e doenças gengivais mais tarde na vida.

O que acontece muitas vezes nesta época de festas, é que saímos da rotina e adotamos uma dieta inadequada e uma higiene oral deficiente, o que pode afetar o equilíbrio entre as bactérias boas e más. Só na boca existem aproximadamente 700 diferentes espécies de bactérias e as alterações típicas desta época podem causar a ocorrência de bactérias nocivas. Este desequilíbrio senão for corrigido pode levar a mau hálito, cáries, doenças gengivais e até perda de dentes.

A inflamação gengival pode danificar os pequenos vasos sanguíneos das gengivas e abrir caminho para as bactérias entrarem na corrente sanguínea. Embora o corpo possua muitos sistemas para combater estes erros, algumas espécies nocivas foram associadas a várias doenças e condições à medida que atingem vários órgãos, como diabetes, doenças cardíacas, resultados adversos na gravidez, doença de Alzheimer e até depressão (embora não existam ainda evidências definitivas de que as bactérias orais causem diretamente esses estados de doença associados). 

Restabelecer o equilíbrio na flora da cavidade oral: 

  • Lave os dentes 3x/ dia. De manhã depois do pequeno-almoço, ao almoço e antes de deitar
  • Escolha uma pasta de de dentes com maior quantidade de flúor, acima de 1450 ppm  
  • Pode também optar por uma pasta de dentes com fluorinol, fluoreto de sódio ou xilitol 
  • Escove sempre a língua e os lábios
  • Uso o fio dentário, pelo menos 1x/ dia de preferência antes de deitar
  • Bochechar 1x/dia com colutório sem álcool e à base de flúor
  • Promova a salivação com pastilhas elásticas com xilitol
  • Aumente o consumo de água

Outros cuidados alimentares:

  • Coma mais alimentos à base de plantas. Muitos cientistas que trabalham nesta área acreditam que comer mais alimentos à base de plantas é um bom ponto de partida. Ou seja, qualquer coisa que não seja de origemanimal – frutas, legumes, grãos integrais, legumes, lentilhas, tofu e nozes. Em vez de erradicar todos os produtos de origem animal da nossa dieta, apenas incorporar mais alguns nutrientes à base de plantas poderia ajudar a promover um ambiente oral mais equilibrado e uma boa saúde geral.
  • Reduza o açúcar. Há muito se sabe que o açúcar não é bom para a saúde oral, e novas pesquisas estão preenchendo as lacunas sobre o motivo. Os cientistas pensam que um dos efeitos prejudiciais de uma dieta rica em açúcar pode ser o impacto nas nossas bactérias orais, incentivando o crescimento de bactérias que adoram ácidos, como Streptococcus Mutans, que contribuem para cáries, doenças periodontais e que inibem outras boas bactérias.
  • Evite bebidas ácidas. As bebidas ácidas também são consideradas inimigas quando se trata de saúde oral. Mesmo versões sem açúcar podem alterar o equilíbrio de microrganismos e perturbar as boas bactérias. Novamente, isso não significa que nunca beba essas bebidas, apenas aprecie-as como um presente de vez em quando.

 

A pesquisa continua a evoluir. E nesse sentido os cientistas estão a desenvolver novos métodos direcionados para maximizar a saúde do microbioma na boca.

Por exemplo, certos alimentos ou probióticos podem fazer a diferença. Um vencedor em potencial: framboesas pretas. A fruta parece conter fitoquímicos que são eficazes na redução da inflamação crónica. Podem também ajudar a inibir os estágios iniciais do desenvolvimento do cancro oral.

As consultas com o médico dentista também são fundamentais para manter o ecossistema oral saudável. Além disso esclarecem dúvidas. Ajustam hábitos e produtos às necessidades de cada individuo.

Estas dicas podem ser uma ajuda mas não excluem a consulta com o médico dentista. Informe-se! E já sabe, sempre que abusar coloque estas dicas em prática!!

Boas escovagens!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *