fbpx

Diastema: o meu filho tem os dentes da frente separados – o que fazer?

Esta é uma pergunta muito frequente nas minhas consultas. Pais preocupados com o espaço entre os dentes da frente (diastema). Muitas vezes até são mesmo as crianças que questionam como podem ter os dentes direitos e juntos.

Neste artigo vou explicar como resolver e ajudar a perceber porque isto acontece.

O espaço que fica entre dois dentes designa-se por diastema. Nos últimos tempos temos visto algumas modelos a assumir este espaço entre os dentes e muitas vezes, como é o caso da Lara Stone, acaba por se tornar imagem de marca.

Mas eu tenho pacientes que adoram e sentem-se bem com isso. Outras que detestam e estão desejosas por se verem sem este espaço.  

Nos pacientes adultos existem várias formas de corrigir: com resina composta (massa colada nos dentes); com aparelho ortodôntico ou com reabilitação com coroas ou facetas (capas que coladas diretamente nos dentes).

 

diastema

Lara Stone – modelo com espaço nos dentes da frente.

 

Em crianças que ainda têm dentes de leite, geralmente até aos 6 anos, este espaço é perfeitamente normal. Está descrito que ocorre em 77% das crianças. Isto porque os dentes que ainda vão nascer (dentes definitivos) são maiores e deverão preencher os espaços corretamente.

Este diastema pode também existir depois do nascimento dos dois dentes da frente (incisivos). Por isso é muito comum entre os 8 e 12 anos ainda existir algum espaço entre estes dentes, a chamada fase do “patinho feio”.

 

diastema

Diastema normal aos 8 anos.

 

Só aos 13 anos, com o nascimento dos caninos, últimos dentes a nascer, é que poderá ocorrer de forma espontânea o encerramento deste espaço.

 

No entanto existem casos em que mesmo depois de nascerem todos os dentes o espaço se mantém. Tal pode ocorrer, entre outros factores, devido à existência do freio labial superior verdadeiro.

 

 

 

 

diastema

Freio labial superior verdadeiro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A forma, posição e textura deste freio podem ser avaliadas, desde cedo, na consulta de medicina dentária.

Através do exame clínico e radiográfico o médico dentista pode concluir se é um freio que necessita ou não de cirurgia. A cirurgia do freio, FRENECTOMIA, está indicada, entre outros fatores, em casos de posição muito baixa do freio e de uma textura muito fibrosa. A frenectomia consiste na remoção completa do freio, para permitir que ocorra o encerramento deste espaço.

Se o freio estiver posicionado entre os dois dentes da frente, mesmo que faça o tratamento ortodôntico, mas se não fizer a frenectomia, o espaço pode voltar a abrir.

Mas e se não quiser fechar o espaço entre os dentes? Tem mal deixar aberto?

À partida o diastema por si só não traz complicações. Mas poderá ter  algumas implicações que devem ser sempre avaliadas pelo profissional:

  • Comprometimento da estética
  • Retrações da gengiva junto aos dentes
  • Inflamação gengival por maior retenção de comida nesta região
  • Alterações na fonética (pronúncia alterada de algumas palavras e sons)
  • Alterações na forma como os dentes encaixam e por isso levar a problemas na articulação (ATM)

Quando este freio está alterado na dentição de leite os estudos dizem que podem ocorrer mais cáries nos dentes da frente, devido à acumulação de leite nesta região.

Tendo em conta as futuras alterações que um freio anómalo poderá causar, o médico

dentista pode decidir realizar o procedimento cirúrgico como forma de precaução.

Segundo a literatura a frenectomia deve ser realizada após o nascimento dos caninos maxilares definitivos, por volta dos 13 anos. No entanto, quando o diastema é amplo, este procedimento deve ser realizado precocemente. Em dentição decídua esta cirurgia não é recomendada.

Classicamente este procedimento cirúrgico realiza-se com bisturi.

Mas a tecnologia LASER tem sido considerada uma alternativa às técnicas convencionais apresentando várias vantagens:

  • Cirurgia mais rápida
  • Menos hemorragia
  • É necessária menos anestesia local
  • Não necessita de pontos
  • Menos complicações pós operatórias (dor, edema e infeção)
  • Cicatrização mais rápida

 

O LASER é um equipamento muito aceita pelos mais pequenos, porque suscita alguma curiosidade e não tem aquele aspecto clássico de instrumentos de dentista.

Além do mais permite que o procedimento seja mais rápido, e acima de tudo não precisamos de suturar. Ou seja não temos que dar pontos!

Tenho realizado alguns procedimentos destes e garanto que ao fim de uma semana os tecidos já estão quase completamente cicatrizados.

Não há que ter receio deste procedimento. É simples e poderá fazer imensa diferença na futura posição dos dentes.

 

O seu filho tem espaço entre os dentes? Não sabe se o seu filho tem o freio normal? Mais vale prevenir. Marque uma avaliação do freio labial superior do seu filho!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *