fbpx

Sabia que pode evitar as complicações dos sisos?

Os sisos ou terceiros molares são dentes que ficam frequentemente inclusos, isto é, não nascem. Segundo os estudos, na população, cerca de 20 a 30% dos terceiros molares encontram-se inclusos.

De certeza que já conheceu alguém que teve que extrair os dentes do siso! E, de certeza também, que já ouviu testemunhos muito diferentes quanto à cirurgia. De facto a cirurgia para extrair os dentes do siso pode ser um procedimento complexo, dependendo da posição, idade ou complicações que o dente ou o indivíduo apresente.

Gostava que o seu filho não tivesse que passar por isso?

Quer evitar ter complicações com os dentes do siso? Descubra neste artigo a solução.

A formação da coroa do terceiro molar completa-se aproximadamente aos 16 anos. A erupção deste dente na cavidade oral ocorre, na generalidade, entre os 17-24 anos de idade e as suas raízes terminam a maturação por volta dos 25 anos.

sisos

Dente do siso extraído com coroa e raiz formadas.

 

 

Mas, estes dentes apresentam elevada prevalência de inclusão, alteração e má posição. Em alguns casos este dente pode até não existir. Isto porque devido aos recentes hábitos alimentares, de dieta mais mole, os maxilares estão a diminuir de tamanho, e por isso os sisos não têm espaço na boca para nascer.

Geralmente estes dentes apresentam-se assintomáticos, sem dor e muitas vezes o paciente só sabe da sua existência quando vai à consulta de medicina dentária e faz uma radiografia.

Também pode ocorrer que o dente se encontre semi-incluso, ou seja nasce metade do dente e a outra metade fica coberta por gengiva.

 

 

sisos

Dente do siso semi-incluso com inflamação da gengiva.

 

Estudos realizados mostram que, mesmo quando assintomáticos, os sisos podem exercer influência negativa noutros dentes.

A literatura descreve diversas complicações associadas aos terceiros molares inclusos: pericoronarites (a gengiva que rodeia o dente fica inflamada e aumenta de tamanho);  cistos odontogénicos; tumores malignos e benignos; ulcerações; dor; edema; infeções sistémicas; cáries; reabsorções radiculares ou defeitos periodontais no dente adjacente.

Estes efeitos podem ser observados em jovens, adultos ou idosos.

Nestes casos, a remoção profilática do terceiro molar mandibular incluso está indicada para prevenir patologia e otimizar a saúde. Ou seja, extrair o dente do siso assim que se forma a coroa para prevenir este tipo de complicações. Este procedimento cirúrgico designa-se por germectomia.

A germectomia está, por isso, indicada em dentes que se preveja a inclusão. Desta forma iremos simplificar o procedimento cirúrgico e a melhorar o pós-operatório.

 

 

 

 

 

 

Além disso quanto mais tarde for realizada a extração do terceiro molar incluso, maior o risco de complicações sistémicas. Se tivermos a falar, por exemplo, de um paciente idoso que faz medicação, ou que tem algum tipo de doença sistémica que compromete a cicatrização.

Mas este procedimento é alvo de alguma discordância na literatura publicada sobre o tema.

  • A American Public Health Association, em 2008 emitiu uma declaração baseada em evidência, na qual se opunha à remoção de terceiros molares assintomáticos.
  • A American Association of Oral and Maxillofacial Surgeons em 2012, publicou indicações de remoção de terceiros molares assintomáticos, suportadas por estudos clínicos que demonstraram achados patológicos associados a estes dentes.
  • A Sociedad Española de Cirurgía Bucal (SECIB), em 2017, indica a extração profilática de terceiros molares em que existe risco posicional de dano, alto risco de pericoronarite e acumulação de placa bacteriana no segundo molar.
  • A Royal College of Surgeons recomenda a exodontia profilática destes dentes como prevenção de defeitos ósseos, pericoronarites, lesões do nervo alveolar inferior e cárie.

 

Este estudo refere-se a uma complicação frequente relacionada com estes dentes, aquando da sua extração, que é a parestesia. Tal ocorre porque as raízes destes dentes podem contactar directamente com o nervo alveolar inferior. Nestes casos a sua remoção é de tal forma difícil que se torna impossível evitar a lesão deste nervo.

Como tal, é fundamental o aconselhamento com um médico dentista sobre os sisos.

Nós iremos avaliar a possibilidade de extrair estes dentes, assim que a coroa se forma, por volta dos 16 anos. Ou seja, realizar a germectomia. E conseguir assim evitar cirurgias mais complexas e diminuir o risco de complicações futuras.

 

sisos

Radiografia Panorâmica com círculos a amarelo a identificar os terceiros molares inclusos com a coroa formada, aos 16 anos.

sisos

Radiografia Panorâmica com círculos a amarelo a identificar os terceiros molares inclusos com a coroa e raíz formada, 42 anos.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *